Imagem da capa da Revista de Ciência Elementar
Capa da Revista de Ciência Elementar

Revista de

Ciência Elementar

Volume V, número 1, Março de 2017

Resumo

Envolto pela luxuriante vegetação da serra de Sintra, que tantos poetas e músicos já inspirou, o Centro Ciência Viva de Sintra, criado a 20 de novembro de 2006 nas instalações da antiga garagem dos Elétricos de Sintra, está integrado na rede de Centros da Agência Ciência Viva, padronizando-se pelos quatro lemas seguintes:

  • Missão: Promover uma cidadania ativa apoiada no conhecimento científico;
  • Identidade: Inspiramos e mobilizamos através da ciência;
  • Atividade: Promovemos a cultura científica e desafiamos o público a partilhar e debater novas experiências;
  • Valores: Acreditamos num progresso social assente na curiosidade, na criatividade, no pensamento crítico e no envolvimento de todos os cidadãos.

  • Respeitando estes lemas, o Centro Ciência Viva de Sintra pretende fazer chegar a Ciência aos alunos das escolas públicas e privadas e à população em geral. Utiliza formas vivas e atraentes que despertam o interesse e criam o desejo de conhecer melhor a Ciência, o seu método e objetivo, valorizando a qualidade de vida dos seres humanos.

    Figura 1.

    Proporciona aos visitantes a possibilidade de experimentar, conhecer e aprender nos domínios, cada vez mais alargados, dos conhecimentos científicos. Não visa por isso unicamente a transmissão de saberes, mas estimula, em especial nos mais novos, o desejo de saber mais, de conhecer mais, de pesquisar e de investigar, através de ações experimentais concretas, os caminhos que a Ciência lhes abre.

    Por isso o Centro Ciência Viva de Sintra promove atividades que são passos importantes no desbravar de áreas científicas como a Física, a Química, a Matemática, a Biologia, a Geologia e outras áreas afins destas.

    O Centro faz jus ao seu nome proporcionando atividades vivas, muito para além de um ensino tradicional repetitivo e pouco mobilizador, de acordo com as modernas teorias que privilegiam o ensino não formal, na esteira das propostas que deram origem à Escola Nova e à Escola Aberta.

    A área expositiva do Centro integra módulos interativos, tanto na zona interior como exterior, que privilegiam o ensino em diferentes temáticas da Física, das Neurociências, da Biologia, do Corpo Humano, da Luz e do Som, da Água, da Energia. Anualmente, prepara uma diversidade de propostas a pensar nos programas que, ao longo do ano letivo, os professores poderão trabalhar com os alunos dos diferentes níveis de ensino, completando assim as suas atividades pedagógicas e científicas.

    Figura 2.

    Na oferta educativa pode encontrar-se uma seleção de laboratórios com atividades científicas adaptadas aos diferentes níveis de escolaridade e enquadradas nos respetivos planos de estudo.

    Figura 3.

    Também inclui exposições temáticas interativas com atividades de “mãos-na-massa”, de produção própria, disponíveis para permanecerem nas escolas, bibliotecas, museus, juntas de freguesia, entre outras instituições.

    Já se encontram disponíveis três exposições para itinerância, “No início era a semente”, “Há Vida na Terra: Plantas. Luz. Solo” e “Resistir – quando as bactérias sobrevivem aos antibióticos”.

    Figura 5.

    Existem ainda outras atividades que o Centro dinamiza tais como Oficinas de Ciência, Jogos Matemáticos, Férias Vivas, Elétrico com Ciência e o Planetário Móvel, sendo este um excelente instrumento para enriquecer o estudo das temáticas relacionadas com a Astronomia.

    Respeitando uma vocação apontada desde o seu início, o Centro Ciência Viva de Sintra vem internacionalizando a sua ação, tendo já desenvolvido atividades em Moçambique e Cabo Verde e está em estudo a sua participação em outros países de expressão portuguesa.

    Figura 6.

    [[MENSAGEM]]