Revista de Ciência Elementar

Volume 3, Número 4, outubro a dezembro de 2015

Filosofia da natureza

José Ferreira Gomes

A compreensão do mundo onde nos é dado viver exige uma reflexão permanente sobre aquilo que podemos observar mas requer também o apoio de quem nos possa transmitir o adquirido pelas gerações precedentes, o professor. Neste nosso tempo de acesso facilitado à informação, o professor não é apenas o transmissor para ser principalmente o motivador, o exemplo o companheiro mais velho que ajuda o aluno a encontrar o seu percurso disciplinada e eficazmente. A função de ensinar não perdeu valor. Apenas se complexificou ao estar mais aberta à crítica, à discussão de outras visões contrastantes. Aprender é assimilar uma nova visão da realidade tornar sua uma visão que lhe era exterior ou confirmar uma visão hipotética que sobrevive à contestação.

A Filosofia da Natureza ou Filosofia Natural busca a compreensão das primeiras causas e dos princípios do mundo material. Começou por se basear num processo de reflexão pura mas evoluiu no sentido de incorporar interpretações cada vez mais refinadas do que nos é possível observar. A reflexão primordial é normalmente associada à Academia de Atenas pelo legado documental que nos deixou e que manteve uma profunda influência por mais de dois milénios. A preocupação sistemática com a mediação experimental da crítica aos modelos interpretativos desenvolveu-se nos últimos séculos mas a designação de Filosofia Natural não foi enjeitada até finais do século XIX, desde a publicação dos Princípios Matemáticos da Filosofia Natural por Newton (1687) até ao Tratado de Filosofia Natural de Lord Kelvin (1867).

Cabe-nos hoje prosseguir esta aventura de filósofos apoiando os alunos que procuram uma educação nas atitudes que lhes permitirão compreender melhor o mundo em que crescem e onde vão competir por uma vida mais feliz e mais realizada. Tal como na Academia de Platão ou no Liceu de Aristóteles, o objetivo da educação é desencadear nos nossos alunos as competências para serem cidadãos mais participantes nos negócios da cidade. A retórica e a ciência são as disciplinas base que permitem apresentar uma boa defesa das suas ideias fundamentada numa profunda compreensão do mundo onde vivemos.

A Casa das Ciências tem sido desde o primeiro dia um espaço de reforço e apoio dos professores nesta missão de ensinar Ciência. Aqui têm os professores portugueses encontrado um espaço de partilha das suas experiências educativas. Reconhecendo a permanente necessidade de atualizar os métodos para chegar mais perto de cada nova geração de alunos, a publicitação dos pequenos êxitos de cada um são o veículo para o sucesso de toda a comunidade e para uma compreensão do mundo melhor validada pela experiência e a reflexão crítica.

José Ferreira Gomes
Editor-chefe
Revista de Ciência Elementar